Sobre o autor

Diogo Salles nasceu em 1976 em São Paulo, é graduado em Comunicação Social e pós-graduado em Projetos Sociais e Políticas Públicas.

Iniciou sua trajetória como cartunista durante a campanha eleitoral de 2002. Quatro anos depois viria o primeiro livro, lançado de forma independente. Às vésperas da eleição de 2006, corruPTos?… mas quem não é? abordava os principais fatos políticos do primeiro mandato de Lula.

O sucesso da empreitada proporcionou voos mais altos, quando passou a assinar as charges diárias do Jornal da Tarde, e a colaborar com ilustrações e matérias para o próprio JT e também para o Estadão. Depois de cinco anos de trabalho na redação, encerrou sua colaboração com o Grupo Estado, quando o JT fechou as portas em outubro de 2012.

Após os protestos de rua de junho do 2013 – e com muito material em seus cinco anos de jornal – vem a ideia de lançar um novo livro. Trágico e Cômico: os protestos em charges sai em 2014, dessa vez sob o selo da Primavera Editorial, e seguindo o rastro dos protestos e da crescente polarização que toma conta do país.

Em 2017, após três anos de colaboração com a ESPN Brasil, decide encerrar sua atuação na imprensa e mudar de área, indo trabalhar no Terceiro Setor, na área da Educação.

O novo trabalho vai muito bem, mas a escalada autoritária e a chegada da pandemia despertaram os instintos de chargista, que estavam adormecidos. Surge então a ideia de lançar um terceiro livro, e também o entendimento de que seria o fechamento de uma Trilogia de Charges.

Em 2022, Diogo Salles completa 20 anos de sua trajetória como cartunista, escritor e observador político. É a oportunidade perfeita para retomar a história do ponto em que Trágico e Cômico parou e seguir o fio narrativo até os dias atuais.

O que nos leva à pergunta fatal: você apoiaria um projeto desses, via crowdfunding?